Pesquisa

TV Azinhaga

Seguidores

Visitas

PageRank

Siga-nos por email

Digite seu endereço de e-mail:

Blog Archive

Sites Amigos

12 de maio de 2016

Mantém-se elevada a probabilidade de cheias

Apesar da chuva ter diminuído de intensidade nas últimas horas, a meteorologia e a proteção civil continuam atentas à precipitação e, sobretudo, ao caudal debitados pelas barragens que afetam a bacia do Tejo, em Portugal e Espanha, mantendo o alerta para a possibilidade de cheias.

Em termos meteorológicos, o distrito de Santaréme mais 12 - Aveiro, Guarda, Viseu, Coimbra, Castelo Branco, Portalegre, Leiria, Lisboa, Setúbal, Évora, Beja e Faro estão sob ‘Aviso Amarelo’ até às 18h00 desta quinta-feira, 12 de maio, devido à previsão de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

Já em termos de caudais do rio Tejo, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém informou ás 10h00, que "decorrente da precipitação que se tem sentido em Portugal e também em Espanha, as barragens apresentam valores de armazenamento muito elevados, situação que gerou um aumento dos níveis hidrométricos e caudais do rio Tejo. Mantendo-se a situação atual, prevê-se que os caudais lançados no Rio Tejo possam atingir os 2000m3/s em Almourol, ao longo do dia de hoje".

O CDOS de Santarém refere ainda que "às 20h45h de ontem, o rio galgou as suas margens, na zona do Patacão/Alpiarça, inundando alguns campos agrícolas e na zona da Quinta do Paúl, com os efeitos idênticos – Inundação dos terrenos junto à quinta".

Além deste cenário, há registo do corte dos caminhos municipais 1, 7 e 30, na zona da Brôa (Azinhaga, Golegã) e do Paul do Boquilobo (Riachos, Torres Noavs).

"É espectável nas próximas horas, uma manutenção dos caudais do rio Tejo, mantendo-se assim a elevada probabilidade de cheia", completa o CDOS.

Neste sentido aconselha-se a retirada, das zonas confinantes, normalmente inundáveis, de equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens; a retirada de animais para locais seguros, retirando os rebanhos que se encontram nas zonas que serão provavelmente inundáveis; e o não atravessamento com viaturas ou a pé estradas ou zonas alagadas.

0 comentários:

Enviar um comentário