Pesquisa

TV Azinhaga

Seguidores

Visitas

PageRank

Siga-nos por email

Digite seu endereço de e-mail:

Blog Archive

Sites Amigos

25 de novembro de 2015

Viver Saramago em Azinhaga

Numa iniciativa da Junta de Freguesia de Azinhaga com a produção da Casa da Comédia dirigida por João Coutinho, estão a decorrer diversas iniciativas sobre a obra de José Saramago, o único prémio Nobel da Língua Portuguesa e natural desta aldeia banhada pelo Almonda.

Estreou no dia 21 e vai voltar à cena no dia 28, às 21H30, na sala da Misericórdia Local o espetáculo VIVER SARAMAGO que aborda a vida do escritor a partir de alguns dos seus livros com particular destaque para as suas Pequenas Memórias que foram lançadas nesta aldeia e do Levantado do Chão e Ensaio Sobre a Cegueira.

Para Vitor Guia, Presidente da Junta e grande impulsionador da divulgação da obra do escritor na sua terra natal, “…somos a única localidade de todos os países de língua portuguesa que se pode orgulhar de ter um Prémio Nobel da Literatura na sua história, que colocou o nome da Azinhaga em todos os destinos culturais e em todos os roteiros literários, por isso temos que ser capazes de honrar esta herança única. Enquanto Autarquia devemos por isso cumprir a nossa missão de divulgação da sua obra, valorizando também a Azinhaga.”

Para além do espetáculo, no dia 29 serão percorridos diversos estabelecimentos comerciais da Aldeia onde os atores da Casa da Comédia irão ler poemas e textos de Saramago, terminando este evento com a leitura publica da obra Pequenas memórias.

Este acontecimento nesta Aldeia, é a prova de que mesmo fora das grandes cidades é possível concretizar projetos de alto relevo cultural, desde que a criatividade e a sensibilidade do poder local se juntem para viabilizar os sonhos.

Desassossegar, como diria Saramago, é urgente, e é isso que está a acontecer na Azinhaga.

Notícia de Entroncamento Online em http://www.entroncamentoonline.pt/portal/artigo/viver-saramago-emociona-aldeia-nobel
27 de outubro de 2015

Casa da Comédia de Azinhaga está de volta!

A Casa da Comédia de Azinhaga divulgou hoje na sua página de Facebook: "Voltamos ao trabalho, com Saramago! O presidente da Junta de Freguesia Vitor Guia Guia, e o executivo, desafiaram a Casa da Comédia para a realização em Novembro de diversas iniciativas de VIVER SARAMAGO, no mês em que comemora os seus 93 anos. Para o presidente da Junta da Terra de Saramago este projeto integra se num projeto cultural a desenvolver que permitirá manter a Azinhaga na rota de todos aqueles que querem percorrer os caminhos do único Nobel da Literatura de Língua Portuguesa. A Confiança depositada pelo Presidente na Casa da Comédia permitirá também que este seja o relançar do trabalho artístico dum grupo que tanto êxito tem conseguido na área do Teatro."  

Fique a par de todas as novidades na página de Facebook da Casa da Comédia de Azinhaga
30 de julho de 2015

Despoluição do Almonda

etar almondaIntervenções são importantes, mas monitorização e fiscalização são decisivas

etar almondaNuma altura em que o poder político inaugura duas intervenções de grande envergadura nos subsistemas de saneamento de Riachos e de Torres Novas, um investimento cofinanciado com Fundos da União Europeia em mais de 6,5 milhões de euros para a despoluição da bacia do Almonda, a Quercus vem congratular-se com este empenho mas manifesta a sua preocupação face à possibilidade de a situação não ficar resolvida por completo.

A bacia do Rio Almonda tem registado, ao longo dos últimos anos, não “diversos episódios causados por focos de poluição com diferentes origens e consequências”, como é afirmado pelas Águas do Ribatejo, mas uma poluição recorrente devido à permissividade das autoridades licenciadoras e fiscalizadoras em matéria de recursos hídricos. Acresce que esta situação prejudica uma zona de grande sensibilidade ecológica: a Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, uma Zona Húmida de Importância Internacional pela Convenção Ramsar e Zona de Protecção Especial, que também integra a Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO.

É certo que a conclusão destas intervenções é um passo importante para resolver um problema com graves consequências ambientais. No entanto, deve-se esclarecer que a entrada em funcionamento destas ETAR é dirigida principalmente ao tratamento de efluentes urbanos, permanecendo ainda por resolver todas as questões relacionadas com as descargas industriais que se verificam recorrentemente no Almonda.

Com efeito, só uma outra atitude por parte da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, ao nível do licenciamento das autorizações de descargas em meio hídrico, que passe pelo rigor e pelo cumprimento escrupuloso da legislação, e só um outro empenhamento por parte da IGAMAOT – Inspecção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, ao nível da fiscalização dos agentes económicos localizados na bacia do Almonda, criarão condições para se debelar um flagelo que dura há décadas.

Por último, à semelhança do que tem vindo já a ser referido pela Quercus, em diversas ocasiões, a componente de fiscalização deve ser alvo de moralização, pois o sistema de autocontrolo actual possibilita a manipulação/adulteração dos dados por parte dos utilizadores dos recursos hídricos. Neste contexto, a legislação deve ser de imediato alterada para que os utilizadores comuniquem à APA e à IGAMAOT, com uma antecedência mínima de 5 dias, a intenção de realizar o autocontrolo, de forma a prevenir situações menos escrupulosas contrárias à lei. Neste contexto, a APA e a IGAMAOT passariam a poder fiscalizar de surpresa as instalações mais poluentes na data de recolha, fazendo com que todo o sistema ficasse purgado de práticas menos honestas e, com isso, houvesse uma melhoria qualitativa no estado das massas de água interiores.

A Quercus felicita ainda a população pela sua mobilização em torno desta problemática e considera que a participação pública na exigência da qualidade do seu rio é fundamental e poderá mesmo ser decisiva, apelando a que este exemplo de cidadania seja seguido por populações vizinhas de outros cursos de água com problemas semelhantes como os casos, nesta região, do rio Alviela, da Ribeira dos Milagres, das ribeiras do Oeste e do próprio Rio Tejo

Notícia - http://www.quercus.pt/comunicados/2015/julho/4404-despoluicao-do-almonda
24 de março de 2015

Morreu José Gonçalves Júnior

José Gonçalves Júnior morreu hoje, aos 96 anos, funeral
realizar-se-á
amanhã pelas 17h00 em Azinhaga.

Nasceu na Azinhaga a 2 de Janeiro de 1919, filho de José Gonçalves e Ana de Jesus Escudeiro.

Nasceu com uma sentença de morte, como gostava de contar, pois o médico durante o parto disse ao pai que, ou se salvava a mãe ou a criança.

Felizmente o médico não podia estar mais enganado. Não só se salvou a mãe, como a criança. Teve uma infância feliz, na companhia dos pais 2 irmãos e 2 irmãs.

Homem com veia artística foi um dos fundadores do teatro da Azinhaga, tendo entrado em diversas peças. E foi um dos fundadores do Rancho dos Campinos da Azinhaga, onde tocou viola durante cerca de 40 anos, acompanhando o Rancho em todas as suas saídas, incluindo ao estrangeiro.

Foi também um dos fundadores e Presidente da Banda de Música da Azinhaga.

A música esteve sempre presente na sua vida. Na sua juventude fez parte de um grupo de músicos que tocava nos muitos bailes que se faziam na Azinhaga e Pombalinho. Contava com saudades que chegava a haver 3 bailes num só dia. Ainda fez uma passagem pela equipa de futebol da Azinhaga, mas como contava, não tinha grande jeito.

Homem sério e de responsabilidade foi ainda Tesoureiro da Junta de Freguesia durante 16 anos. E foi também Tesoureiro da Misericórdia e da Igreja. Tendo sido também Presidente da Misericórdia e da Casa do Povo.

Muito antes de se pensar em automóveis, deslocava-se com a sua charrete pela Azinhaga e arredores, que chegava a servir de “táxi”.

Os animais sempre foram uma paixão. Teve de tudo um pouco, mas foi nos pássaros que alimentou mais a sua paixão. Fez criação de pássaros e faisões chegando mesmo vender para algumas lojas ou particulares.

Na oficina de sapatos que pertenceu ao pai, aprendeu a habilidosa arte de fazer botas de montar a cavalo. Arte que manteve durante muito tempo, já só pelo prazer de fazer. Tinha clientes de toda a parte do país, que vinham de propósito à Azinhaga para mandar fazer as botas. Cavaleiros, toureiros, todos queriam umas botas feitas pelo Sr. José Gonçalves da Azinhaga. Também fez durante muitos anos os sapatos para o Rancho dos Campinos da Azinhaga.

Texto e imagens cedidas por: Ana Peralta Gonçalves Melrinho 
20 de março de 2015

Suspensão de Obra do Açude de Azinhaga


 
Imagem Panorâmica Diogo Narciso
Presidente da Junta responsabiliza Presidente da Câmara 
Vítor Guia responsabilizou o Presidente da Câmara da Golegã pela suspensão das obras do Açude e Escada de Peixes, em curso na freguesia de Azinhaga, cujo processo foi iniciado ainda no mandato anterior.

O Presidente da Junta recordou que por diversas vezes ainda antes do início dos trabalhos, tinha alertado para a necessidade da consolidação prévia das margens. A Câmara decidiu avançar com a obra mas viu-se agora obrigada à sua suspensão, de forma a poder projetar e planear esses trabalhos.

Vítor Guia relembrou que o Presidente da Câmara era, à época, o titular do pelouro, acusando-o de ter ignorado os alertas que entretanto foi deixando, considerando por isso que o mesmo é o responsável pela suspensão e consequentes atrasos.

8 de janeiro de 2015

Junta de Freguesia de Azinhaga recebeu hoje o Bispo de Santarém

Sr. Bispo D. Manuel Pelino Domingues, da Diocese de Santarém, foi hoje recebido na Junta de Freguesia de Azinhaga numa visita pastoral à freguesia com a duração de três dias.



(Fotografias Diogo Narciso)





Programa da Visita:

Dia 8 de Janeiro de 2015 (Quinta-feira)
16h00 - Visita à Junta de Freguesia
16h30 - Visita aos doentes
18h30 - Eucaristia
19h30 - Jantar - Quinta da Cholda
21h00 - Conversa com os Crismandos

Dia 9 de Janeiro de 2015 (Sexta-feira)
11h30 - Visita às escolas do Jardim Infantil e 1º Ciclo
13h00 - Almoço na Misericórdia
15h00 - Eucaristia na Misericórdia
17h30 - Visita a Mato de Miranda - Encontro com as pessoas / Lanche no Restaurante
20h00 - Jantar em casa das irmãs
21h00 - Assembleia Paroquial (Aberta a toda a comunidade)

Dia 10 de Janeiro de 2015 (Sábado)
16h00 - Encontro com crianças e pais na igreja
17h00 - Concerto Banda com o Coro Paroquial da Azinhaga na Igreja.

Dia 11 de Janeiro de 2015 (Domingo)
10h30 - Missa com celebração do Crisma
13h00 - Almoço partilhado no salão da Banda (aberto a toda a comunidade)
4 de janeiro de 2015

A Capela da Rua do Cardoso








Capela da Rua do Cardoso, restam, como sinal de ter existido, pedras e inconfundível personalidade, portas, janelas gradeadas, cruzes sobre o telhado, mas ninguém lhe conhece o patrono. Acabou em lagar, que do mal, o menos, espremia sob as suas prensas, a azeitona que as mulheres apanhavam na azáfama dos rabiscos ou dos partidos e lhe atribuía amigamente com azeite para temperar comidas e aliviar certas dores, como, por exemplo, as dos ouvidos.

- Azinhaga Livro de Horas.