Pesquisa

TV Azinhaga

Seguidores

Visitas

PageRank

Siga-nos por email

Digite seu endereço de e-mail:

Blog Archive

Sites Amigos

21 de julho de 2014

Falta de médicos na Golegã

O deputado comunista António Filipe questionou o Ministério do Saúde acerca da falta de médicos no concelho da Golegã, que levou ao encerramento da extensão de saúde de Pombalinho e à redução do serviço em Azinhaga. 

Em comunicado, o deputado eleito pelo distrito de Santarém destaca os "enormes transtornos às populações, especialmente à população mais idosa e com menores recursos económicos", e solicita ao Governo que, através do Ministério da Saúde, informe sobre as "medidas que tenciona tomar para garantir o funcionamento pleno das extensões de saúde da Azinhaga e do Pombalinho, viabilizando a contratação do médico necessário" para o efeito. 

"O encerramento da extensão de saúde do Pombalinho e a redução do funcionamento da extensão da Azinhaga foi tomada na sequência da aposentação de um médico de família, que deixou a referida Unidade de Saúde Familiar (USF) apenas com três médicos de família para um universo de 6300 utentes inscritos", descreveu António Filipe.

Notícia publicada hoje no Jornal Correio da Manhã



11 de julho de 2014

Azinhaga mantém extensão de saúde; Pombalinho à espera de decisão

As extensões de saúde da Azinhaga e do Pombalinho estiveram em risco de encerramento total por “tempo indeterminado” mas a situação já foi, em parte, resolvida através de contactos realizados entre a autarquia da Golegã e o Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria do Tejo.

No caso da Azinhaga foi possível manter o atendimento durante três dias por semana, ainda que de forma transitória, conforme nos adiantou o presidente da Câmara da Golegã, Rui Medinas. O autarca sublinha que o objetivo é conseguir colocar um novo médico de família para assegurar o atendimento por completo nesta freguesia. No caso do Pombalinho, a manutenção da extensão de saúde está ainda em negociação e a solução pode ser encontrada ainda esta semana. Nesta freguesia, o atendimento era assegurado dois dias por semana.

Na origem desta alteração esteve a aposentação de um médico de família, Fernando Santos, que deixou o concelho com apenas três clínicos. “ A aposentação de um único médico não é motivo para encerrar as extensões na totalidade, até porque os rácios internacionais estipulam que deve existir um médico de família por cada 1500 utentes e, no caso da Azinhaga, esta fasquia estava plenamente assegurado porque existem 1800 utentes”, referiu ao nosso jornal Rui Medinas. Além disso, as instalações da extensão de saúde da Azinhaga foram modernizadas há alguns anos.

A situação foi denunciada na semana passada pela deputada Helena Pinto, do Bloco de Esquerda, que já dirigiu uma pergunta ao Ministério da Saúde sobre o encerramento destas duas extensões e a concentração do atendimento aos utentes no centro de saúde da Golegã.

Retirado de Jornal O Ribatejo em www.oribatejo.pt
8 de julho de 2014

Extensões de saúde fechadas no Pombalinho e Azinhaga

As extensões de saúde da Azinhaga e do Pombalinho estão de portas fechadas "por tempo indeterminado" desde o passado dia 30 de junho, alegadamente devido à aposentação de um médico de família e à reorganização dos serviços de saúde no concelho da Golegã.

A situação foi denunciada pela deputada Helena Pinto, do Bloco de Esquerda, que já dirigiu uma pergunta ao Ministério da Saúde sobre o encerramento destas duas extensões e a concentração do atendimento aos utentes no centro de saúde da Golegã.

Questionando se a tutela tem conhecimento desta situação, a deputada exige saber quando será retomado o atendimento aos utentes nestas duas unidades, bem como se o lugar do médico que se aposentou será preenchido por um novo clínico.

"Seja qual for o motivo para os encerramentos, as populações e os autarcas não foram avisados, nem até agora lhes foi prestada qualquer informação oficial, o que suscita natural preocupação e muita indignação", escreve Helena Pinto, para quem "é inaceitável que a aposentação de um médico, há muito prevista, se possa traduzir na redução na prestação em proximidade dos cuidados de saúde primários".

Segundo a deputada, a Azinhaga tem cerca de 1.800 utentes e instalações que foram modernizadas há poucos anos, o que justificaria inclusivamente a colocação de um médico a tempo inteiro nesta extensão de saúde "para atendimento em medicina geral e familiar".
 
Notícia e fotografia retirada de Rede Regional em www.rederegional.com
3 de julho de 2014

Comissão de defesa do rio Almonda vai ser reativada

torresnovasboquiloboA Assembleia Municipal da Golegã aprovou uma proposta de reativação do Grupo de Defesa do Rio Almonda (Grudal), uma comissão constituída no mandato autárquico 2005 - 2009, e que não reúne desde as eleições autárquicas que se realizaram nesse ano.

A proposta para a sua reativação, que foi aprovada por unanimidade na sessão de segunda-feira, 30 de junho, partiu da coligação "Golegã Concelho com Futuro", que junta PSD e CDS/PP, e onde se inclui Carlos Paula Simões, um dos principais ativistas deste movimento.

Na Assembleia, ficou ainda deliberado que a nova comissão Grudal deverá começar os seus trabalhos com caráter de urgência logo que constituída, tendo em conta a situação ambiental que se vive na Reserva Natural do Paúl do Boquilobo.

Carlos Paula Simões recorda que a qualidade da água na reserva natural foi considerada "crítica" num colóquio realizado recentemente na Golegã, e que a Vala das Cordas, um dos cursos de água afluentes do Rio Almonda com mais impacto neste território, encontra-se numa situação de calamidade, tendo em conta os níveis de poluição.

Nóticia retirada do WebSite Rede Regional
Imagem de Carlos Paula Simões