Pesquisa

TV Azinhaga

Seguidores

Visitas

PageRank

Siga-nos por email

Digite seu endereço de e-mail:

Blog Archive

Sites Amigos

19 de dezembro de 2014

Inauguração do mural "Saramago" de Violant, João Maurício na escola Mestre Martins Correia, Golegã.

A Presidente da Fundação Saramago, Pilar del Rio, esteve hoje na escola Mestre Martins Correia na Golegã para assinalar o 16º aniversário da atribuição do Prémio Nobel da literatura a José Saramago, com quem foi casada e viveu durante os últimos 17 anos da vida do escritor.

Participou numa iniciativa de homenagem ao Nobel da Literatura onde incluiu a leitura de poemas por estudantes, a atuação do Coral Cantar Nosso e do Rancho Folclórico dos Campinos de Azinhaga e a inauguração do Mural "Saramago" de Violant um Saramago “suspenso num mundo de sonho” de João Maurício o enorme mural nas traseiras do pavilhão desportivo, terminado em Julho passado.

Pillar Del Rio manifestou-se impressionada com a dimensão do mural e deu os parabéns ao autor pela criatividade da obra e pela “forma como vestiu Saramago, com uma roupa que ele nunca usaria…”, gerando uma gargalhada na plateia.

"Saramago não está a dormir, nem a descansar. Está numa posição um bocado esquisita. É um Saramago abaixado. Se o víssemos ao contrário diríamos que está a correr porque tem uma perna à frente da outra. Está a trabalhar, a pensar... a pequena memória e a grande cultura que é a cultura e a língua portuguesas. O artista vestiu Saramago de uma forma que ele provavelmente nunca se vestiria. Esse é um privilégio que têm os criadores , que são capazes de fazer isto e nós perdoamos-lhes a vida.", referiu com humor.

"Há muitos anos, quando era Primeiro-Ministro, num programa de televisão, Mário Soares disse a propósito de um empréstimo a Portugal que era de 3 mil ou de 300 mil milhões. Eu estou perdida como ele, perante este mural enorme. Não sei se de 4 ou de 15 metros porque me perco a partir de um metro e sessenta"., disse, provocando o riso dos assistentes.

João Maurício - Violant, explicou que a sua inspiração para aquele trabalho foi o amor. "Não é uma homenagem a Saramago. É uma homenagem à paixão do homem por esta senhora que aqui está hoje. Uma forma de explicar que o amor move montanhas".

Todas as forças vivas da Golegã, autarcas e responsáveis escolares enalteceram a iniciativa e os vários apoios reunidos para a concretização deste projeto que homenageia um filho do concelho da Golegã e mais concretamente da freguesia da Azinhaga.

Pilar del Rio esteve também em Santarém na Escola Superior de Educação, no Instituto Politécnico de Santarém, onde o artista estudou para inaugurar "Passarola" é o nome dado ao mural inspirado no livro Memorial do Convento.

A inauguração foi às 16 horas, seguida da continuação dos eventos, com uma cerimónia comemorativa do aniversário em causa, um momento musica, leitura de poemas, uma comunicação de José Miguel Noras sobre inéditos do escritor nascido na Azinhaga e uma homenagem a Pilar del Rio, com a atribuição da medalha do IPS.



(Vídeo de João Luz sobre o Saramago de Violant)

João Maurício pintou um Saramago “suspenso num mundo de sonho”
Já toda a gente conhece o Violant, nome com que João Maurício assina os seus murais. A sua fase mais efervescente, em que um eficaz tom provocatório era outra assinatura, já lá vai (não estamos a falar de tags, esses diz nunca os ter feito). Os stencils também já lá vão, mas o intuito de “meter as pessoas a pensar” ainda lá está.

A maturação levou o pintor riachense a outros pontos da sua imaginação. O surrealismo é, agora mais, a impressão dos seus quadros gigantescos. Depois de ter ido buscar inspiração ao naturalismo (um insecto colossal a rebentar de cor impressiona sempre), atravessa agora uma fase de árvores em explosões, bolhas e objectos flutuantes.

Na mais recente obra, colocou José Saramago "suspenso num mundo de sonho". Os pilares que o sustentam são uma alusão óbvia à mulher, Pilar del Rio. Representa o amor entre eles, confessa, mas não estritamente a velha máxima ‘por detrás de um homem, está uma grande mulher’. “Apesar de todo o desconforto físico, o homem aparece num ambiente de suspensão, num lugar de sonho”. A metáfora é esta: contra todas as probabilidades, Saramago tornou-se um grande escritor, até ganhou um prémio Nobel. Percebe-se que Maurício admira a figura de Saramago, “indirectamente um político activista, tinha os seus ideais e com eles vinha a sua influência”. Trata-se de uma proposta que o pintor de Riachos colocou na gaveta quando a Fundação Saramago não a acolheu.

Outros olhos vêm no mural uma alusão ao livro "A viagem do elefante", em que os pilares fazem lembrar o movimento das patas do paquiderme, e é Saramago, deitado e de olhos fechados, quem os conduz.

É literalmente a maior homenagem a Saramago feita na Golegã, depois da estátua na Azinhaga e da presença na toponímia da vila. A parede do pavilhão desportivo da escola EB23 Mestre Martins Correia serviu de substrato. A brincar, chama-lhe “Violant Armani”, por causa do fato que vestiu ao escritor, uma verdadeira peça de autor.
Conheça mais obras de João Maurício

Excertos de noticia de: O Mirante Online 
21 de outubro de 2014

Começou hoje a preparação para as Obras de Ordenamento das Margens do Rio Almonda

Começou hoje a preparação para as obras de Ordenamento das Margens do Rio Almonda em Azinhaga, a empreitada da obra está a cargo da empresa Arquijardim, SA, por cerca de 860 mil euros.

A obra, há vários anos reclamada pela população da Azinhaga, deverá estar concluída no Verão de 2015, segundo uma nota de imprensa da Câmara da Golegã, que adianta ainda que o investimento está cabimentado no seu plano plurianual de investimento (PPI) e nas grandes opções do plano (GOP) do orçamento municipal.

Recorde-se que desde 2009 que esta obra está para avançar.

Notícias Relacionadas:
4 de outubro de 2014

Dique de São João da Ventosa, Azinhaga ano de 1970

Dique de São João da Ventosa, Azinhaga ano de 1970. 
Dique de São João - O eterno gigante cuja existência damos como certa. Até quando? Tendo inicio nas traseiras das casas da Rua do Lobo estende-se até á Quinta do São João e reaparece depois em direcção à Quinta da Broa. Todos nos lembramos de o ver sempre ali e damos como certa a sua presença esquecendo a sua finalidade. O estado em que se encontra é preocupante e extremamente perigoso. Ausência de Manutenção na estrutura, falta de limpeza da vegetação permitindo assim que as suas raízes tenham vindo ao longo dos últimos anos penetrando nas paredes do dique e a falta de cuidados na manutenção das portas de água, tornam toda a estrutura num perigo eminente para a população da Azinhaga. As fissuras são enormes, bem visíveis e as portas de água simplesmente não mexem. É bom relembrar que a função básica de um dique é reter águas e assim permitir que algumas zonas fiquem secas, nomeadamente parte da Azinhaga. Se o fizeram por alguma razão foi, ou não? Havendo de futuro um daqueles Invernos mais duros a pressão exercida pela água das cheias acabará por fazer com que o dique ceda e as consequências são óbvias. Enxurrada bem forte. Os danos materiais são certos e espero apenas que nenhuma pessoa se atravesse no caminho pois o resultado será igualmente óbvio. Já foram realizados vários alertas junto da autarquia assim como a proposta de análise do verdadeiro estado do dique e possíveis obras de recuperação, todavia continua tudo na mesma e ai vem mais um inverno. Quando se discute a requalificação das margens do Rio Almonda fica para trás o mais essencial, a segurança dos Azinhaguenses. Recuperar o dique significaria segurança e daria a possibilidade de ai sim realizar um percurso para caminhadas, bastava a colocação de iluminação ao longo do dique e reparação do pavimento superior. A estrutura está lá e após a recuperação o investimento na criação do percurso seria mínimo comparado com tanta outra coisa que se faz. Entretanto nada, nada é feito e veremos quem assumirá a responsabilidade quando um dia o dique acabar por ceder.
___________________________________________________________________________
Fotografada e cedida por José Manuel Melrinho.

Texto de João Mendes publicado no Facebook Grupo Azinhaga, Aldeia Mais Portuguesa do Ribatejo.
1 de outubro de 2014

Caminho para a Quinta do Meirinho ano de 1972

 Azinhaga, caminho para a Quinta do Meirinho ano de 1972, na fotografia Helena Peralta, Ana Maria Gonçalves e Ana Peralta Gonçalves Melrinho (no carrinho de bebé).
___________________________________________________________________________
Fotografada por José Manuel Melrinho e cedida por Ana Peralta Gonçalves Melrinho
11 de setembro de 2014

Seis Anos!


Faz hoje 6 anos que começamos a divulgar ao mundo histórias sobre a Azinhaga do Ribatejo e as suas gentes. Ao longo destes seis anos prestamos especial atenção para a divulgação da cultura Azinhaguense e sempre tivemos a ajuda dos seus habitantes para a divulgação das suas raízes.

Têm sido seis anos de muitas descobertas, e de muita divulgação, mas prometemos mais e muitos ai virão!

Um Bem-haja a todos que visitam todos os dias o nosso website, já contamos com 87.233 visualizações, e a todos que nele participam.

Tentamos sempre inovar, já criamos a TV Azinhaga onde partilhamos vídeos da aldeia. Continue a acompanhar a TV Azinhaga no meo Kanal em 158138. .
Homenageamos as nossas figuras ilustres.

Continua-mos em busca de grandes histórias e acontecimentos e em divulgação da Aldeia Mais Portuguesa do Ribatejo.

Agradecemos a sua presença e o seu contributo, porque sem si não seria possível a existência do blogue Azinhaga.

Azinhaga és Ribatejo
Em ti reina a tradição
Tu na campina garrida
És papoila colorida
E de uma rara beleza
Tu jamais serás esquecida
Aldeia Mais Portuguesa.

Aldeia dos meus encantos
Fala-me do teu passado
Quero ver os teus recantos
E os teus encantos
Que tens guardado.

És papoila
És margarida
És terra que nos dá pão
És tudo na minha vida
Aldeia querida
Tens tradição.

Tens monumentos tão belos
Que muitos não dão valor
Tens o Almonda e o Tejo
A dar-te um beijo
Com muito amor.

- Poema de Odete Lobo
6 de setembro de 2014

Rui Cunha afastado de vice-presidente da Câmara da Golegã e de todos os pelouros

O presidente da Câmara da Golegã, Rui Medinas, exonerou esta sexta-feira, 5 de setembro, o seu colega Rui Cunha do cargo de vice-presidente e de vereador a tempo inteiro.

A exoneração é justificada pela condição de arguido do autarca, acusado dos crimes de descaminho de documentos, falsidade informática, falsificação de documento, violação de correspondência e denegação de justiça, atos alegadamente praticados quando era funcionário no tribunal local.

“O presidente da Câmara Municipal da Golegã, Engº Rui Lince Medinas, em virtude da acusação que foi proferida, pelo Ministério Público, ao Vereador Rui Manuel Luís Cunha, num processo em que este é arguido e em que lhe são imputados factos muito graves, e em virtude do mesmo não ter colocado o seu lugar à disposição, nem renunciado ao mandato, determinou, independentemente do desfecho judicial que o processo venha a ter, revogar a nomeação como vereador a tempo inteiro e em regime de exclusividade, a nomeação como Vice-Presidente e a atribuição de pelouros”, refere o comunicado.

Rui Medinas justifica a medida “por considerar que o clima de suspeição e incerteza que recaem sobre o Sr. Vereador são, ética e politicamente, insuportáveis e inaceitáveis para todos, o que inviabiliza a sua continuidade no exercício das funções que desempenhava até então”.

“Esta decisão foi já comunicada ao próprio, à restante Vereação, ao Presidente da Assembleia Municipal e aos Chefes de Divisão da Câmara Municipal da Golegã”, conclui o comunicado.

Notícia retirada de Rede Regional
2 de setembro de 2014

Fado com Tradição

No passado sábado dia 30 de agosto, a Azinhaga recebeu o espetáculo "Fado com Tradição" no Páteo da Antiga Escola de Azinhaga. Com organização da Junta de Freguesia, com apresentação de Raul Caldeira, os fadistas convidados foram João Chora, Dora Maria, Clarisse Nunes e Sérgio Pedro. Na viola João Chora, na guitarra portuguesa Bruno Mira e no contrabaixo Rodrigo Serrão.
Veja também este vídeo na TV Azinhaga no meo Kanal através do número 158138.
13 de agosto de 2014

"Fado com Tradição" dia 30 de Agosto 2014 às 22H em Azinhaga

Espetáculo "Fado com Tradição" no próximo dia 30 de Agosto de 2014 às 22H no Páteo da Antiga Escola Primária de Azinhaga (Largo das Divisões), com Apresentação de Raul Caldeira, Fadistas: João Chora, Dora Maria, Clarisse Nunes e Sérgio Pedro, na Viola: João Chora, na Guitarra Portuguesa: Bruno mira e no Contra-Baixo: Rodrigo Serrão. 
Entrada Livre
12 de agosto de 2014

Recolha de sangue na Azinhaga

A sede da Junta de Freguesia de Azinhaga do Ribatejo, no concelho da Golegã, vai ser palco de uma recolha de sangue e de registo de dadores de medula óssea no próximo sábado, 16 de agosto, entre as 9 e as 13 horas.

A dádiva é organizada pela Associação dos Dadores de Sangue de Torres Novas, em colaboração com o núcleo local e a Junta de Freguesia da Azinhaga, e é uma iniciativa aberta a todos os voluntários que queiram participar.

A recolha estará a cargo de uma brigada do Centro do Sangue e da Transplantação de Lisboa.
1 de agosto de 2014

Gentes de Azinhaga - Ano de 1956

Fotografia tirada em Azinhaga no ano de 1956. Em cima, José Rufino, Maria José Martins, Luisa Duarte Rufino, João Rufino Jr. Em baixo, José Barreto Rufino, Conceição Barreto, João Rufino (conhecido por João Azeiteiro, dono de avieiro), e João Barreto Rufino, filho do casal acima.
_______________________________________
Fotografia e texto de: Isabel Rufino