Pesquisa

TV Azinhaga

Seguidores

Visitas

PageRank

Siga-nos por email

Digite seu endereço de e-mail:

Blog Archive

Sites Amigos

18 de setembro de 2013

Azinhaga 75 Anos de Aldeia Mais Portuguesa do Ribatejo

No dia 18 de Setembro de 1938, no Concurso promovido pelo então Secretariado da Propaganda Nacional, a Azinhaga, foi considerada a Aldeia Mais Portuguesa do Ribatejo.

Este concurso teve como objectivo eleger a Aldeia Mais Portuguesa da Portugal, tendo sido vencedora a aldeia de Monsanto. As restantes finalistas, em jeito de compensação, foram eleitas as "Mais Portuguesas" das respectivas regiões. A Azinhaga disputou o título do Ribatejo com a aldeia do Pego.

Azinhaga engalanou-se para receber o júri nacional, fê-lo admirar a casa campesina de quintal florido, símbolo do asseio ribatejano, mostrou-lhe todos os seus curiosos costumes, até há pouco conservados. Lavradores e campinos cavalgavam, lindas raparigas exibiam os seus alegres cantares e graciosos movimentos bailados, procedeu-se à desmama do gado bravo e depois à passagem do mesmo no rio Almonda, finda a qual foi exibida a rica gastronomia da região. A tarde foi preenchida com bailados e descantes, uma brilhantíssima parada agrícola e para encerrar com chave de ouro, a passagem desenfreada dos touros com milhares de pessoas enfrentando-os de peito feito.

Um dia inesquecível tinha acontecido em Azinhaga. A Junta de Província do Ribatejo aclamou-a, toda a imprensa lhe teceu rasgados elogios e Adolfo Simões Muller cantou-a num poema:

"Azinhaga, a campina, rubra flor
Paleta viva dum genial pintor
Cujas tintas ganhassem movimento."

Responsável por momento tão sublime na vida desta terra, todo um povo que Augusto Barreiros homenageou:

"Mas foi a população anónima de Azinhaga que, com a sua garra, a sua força, a sua índole, lhe emprestou, inteirinha, o que tinha dentro para a grandiosidade que a festa, em hora única, alcançou. E para nunca mais, que nunca mais será possível, aqui, acontecimento de tamanha envergadura."